Deixar a criançada jogar games violentos pode fazer bem!

Enviado por: Redação gameLib
24/02/2012 12:41:34 #Call of Duty 3 / 0

Sabe aquela velha história de que jogos violentos podem deixar as crianças agressivas e perigosas? Pois é, isso é um dilema na Psicologia.

Mas estudos apontam que isso pode ajudar no crescimento dos pequeninos e até torná-los mais pacíficos. Entenda o porquê.

A ideia de muita gente de que games agressivos e violentos são uma forma de má influência para as crianças, deixando-as mais agressivas, pode na verdade se tratar de um equívoco, pois estudos mostram resultados totalmente contrários a esta afirmação.

O educador Luca Rischbieter explica que os jogos violentos ensinam a diferença entre a brincadeira e a realidade, pois apenas nos jogos pode-se morrer e ressuscitar várias vezes e, com o acompanhamento dos pais, esta informação deve ficar bem clara na mente da criança.

Este tipo de jogo também ajuda a entender episódios de violência e situações de dificuldade, o que reduz o impacto que tais coisas causariam na criança, pois ela já vivenciou, virtualmente, vários tipos de catástrofes e armazenou aquilo em seu cérebro, tornando a aceitação mais fácil.

Além disso tudo, por mais indefesas que pareçam, crianças tendem a ter emoções mais fortes por conta da mente fértil, e isso inclui a raiva; estudos apontam que o videogame é uma ótima ferramenta para descarregar esse sentimento, pois ele dá uma sensação de poder e faz com que o pequenino fique mais calmo depois de dar umas porradas ou bater o carro até ele virar sucata.

Outras pesquisas mostraram que a maioria dos adultos agressivos tiveram um infância solitária e sem brincadeiras como "polícia e ladrão", por exemplo.

Mas é claro que isso tudo deve ter um acompanhamento minucioso dos pais, pois tudo em excesso faz mal, e o ideal é que a criança demonstre que tem vontade de se divertir de outras formas também, como por exemplo: jogar bola, andar de bicicleta etc. Mas isso, com o incentivo correto, é facilmente aplicado no dia-a-dia.

Então aqui vai um recado para os pais: se vocês acham que se seu filho jogar Call of Duty vai fazer dele um assassino que irá metralhar as pessoas, ou ele vai roubar carros e atropelar velhas depois de jogar GTA, fique tranquilo, pois se vocês forem bons pais, isso jamais irá acontecer e ele poderá se divertir à vontade.

Então deixem as crianças em paz com seus videogames!

Fonte: Revista Ana Maria, com base no texto de Beatriz Levischi.

BETA
Comente pelo facebook
Último está em cima - alterar?
O que já falaram
0 / 0
Higor em 07/04/2012 21:45
concordo com vc gamer14
0 / 0
gamer14 em 06/03/2012 19:53
é isso ai, o negocio é da residente evil, fear, Call of Duty, GTA, essas coisas, e nao vamos mais ter assinos no mundo. kkkkkkkkkk
zueira mas concordo, dexa elas em paz, ja tem tanta coisa ruim no mundo e eles vao implicar justos com os video games das pobres crianças.
0 / 0
Felipe2345 em 03/03/2012 23:34
AEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
Agora eu posso jogar GTA uhuuuu!!
Obrigado pela notícia gameLib, agora eu tô liberado pra roubar..

Quer dizer, no GTA..
0 / 0
Leoo em 01/03/2012 14:50
se for assim eu vou ficar pro resto da vida jogando resident evil kkkkk
0 / 0
TheMastered em 26/02/2012 13:59
Vo apresentar meu primo pro Happy Wheels então!^^
0 / 0
Matt em 25/02/2012 22:56
Matt disse:
Com tantas noticias assim, eu não saio mais do videogame! Vila la Revolucion!
Viva* kkk
0 / 0
Matt em 25/02/2012 22:56
Com tantas noticias assim, eu não saio mais do videogame! Vila la Revolucion!
0 / 0
IV em 25/02/2012 15:16
ainda bem que joguei resident evil quando pequeno!
kkkkkkkkkk
0 / 0
A em 25/02/2012 09:26
desse jeito minha mae nunca mais vai faze eu para de joga'-'
0 / 0
Renato12 em 24/02/2012 17:28
Poxa, então se uma criança desnaturada jogar Twisted Metal... já era...
0 / 0
MrGame em 24/02/2012 14:00
Concordo. Ô Cride!! Pega uma espingarda e vamos matar zumbis!
0 / 0
Tengri em 24/02/2012 13:50
Disse tudo na ultima frase: " Então deixem as crianças em paz com seus videogames!"
1
Faça login ou cadastre-se
Envie seu comentário
Top Games
Estamos no Facebook